8 Dicas para Você ter uma Vida Financeira mais Equilibrada



Quantas vezes vimos pessoas procurando alternativas para terem uma renda maior, fazendo diversos cursos para agregar valor ao seu currículo e obter um aumento salarial, procurando trabalhos paralelos para complementar a renda no final do mês. Com certeza tudo isso é válido na construção de um futuro mais próspero.


Porém, por mais que observemos esses grandes batalhadores em nosso dia-a-dia, vemos também que grande parte dessas pessoas se perde em suas despesas mensais, e como resultado inevitável, as despesas fazem um grande estrago no orçamento mensal e os sonhos passam a se distanciar mais.


Nesse artigo, colocaremos 8 dicas para que você possa melhorar o controle das suas despesas, e como resultado construir uma vida financeira mais equilibrada.


DICA 1: PAGUE SEMPRE A SUA CONTA EM 1º LUGAR


Um grande erro das pessoas é guardar uma parte de suas receitas se sobrar algo no final do mês, após todas as contas essenciais terem sido pagas e os gastos extras do mês terem sido realizados. Isso é um grande erro, pois geralmente não sobra NADA no final do mês.


Para começarmos a acumular uma reserva o ideal é sempre nos pagarmos antes, ou seja, antes mesmo de começar a pagar as suas contas, reserve de 10% a 20% de sua renda para guardar e criar reservas, e com o restante pague as suas contas e realize seus desejos.


DICA 2: NÃO VIVA UMA VIDA ARTIFICIAL, POIS UM DIA A CONTA CHEGA


Muitas pessoas se endividam demais por manter hábitos de consumo que não podem acompanhar. Desejam ter um carro melhor, ir a lugares melhores, querem estar vestidos conforme a moda e as marcas mais badaladas, desejam acompanhar o seu grupo social em todos os compromissos.


O perigo é que muitas vezes para manter esse padrão de vida as pessoas acabam se endividando demais, e quando veem estão em uma rua sem saída. Portanto, viva de acordo com as suas condições atuais, pois qualquer deslize terá que ser pago, e a conta sempre vai chegar.


DICA 3: CORTAR DESPESAS NEM SEMPRE É O MELHOR CAMINHO


Todas as vezes que falamos sobre economizar, as pessoas já pensam em cortes em seus gastos, o que muitas vezes pode ser verdade. Porém, temos que tomar cuidado para que não tenhamos uma vida de privações, pois em muitos casos, o caminho não é o CORTE.


Separamos as despesas em 3 grupos:


· Necessárias: Despesas que são utilizadas para a nossa subsistência, tais como água, luz, alimentação, seguro saúde, entre outras. Essas despesas não podem ser cortadas, o que podemos fazer é um trabalho de conscientização para gastarmos menos com elas.


· Desnecessárias: Nesse grupo vemos as despesas que são pagas, mas que não são utilizadas necessariamente. Se pesquisarmos em nosso ambiente, as encontraremos, e essas despesas podem e devem ser cortadas.

Ex.: Ter um telefone fixo, mas só utiliza o celular para ligações; Ter um pacote completo da TV a cabo, mas só assiste a globo ou o SBT, que são canais abertos.


· Psicológicas: Essas são as despesas que não podem ser adaptadas e nem cortadas, pois trazem a cada pessoa um bem-estar psicológico, e se excluídas podem causar problemas.

Ex.: O futebol do marido com os amigos no final de semana que trás satisfação; A mulher que gosta de fazer as unhas no salão semanalmente para se sentir mais bonita.


DICA 4: TENHA O HÁBITO DE AVALIAR AS SITUAÇÕES. USE MAIS A PALAVRA “DEPENDE”


Esse ponto se refere aos “Folclores Populares”, ou seja, aos assuntos financeiros que são tabus e que se não bem avaliados podem gerar prejuízos.


Quando falamos da utilização da palavra “Depende”, significa que temos que estar atentos ao que é bom ou ruim sempre, e para isso precisamos ser mais analíticos, para que assim possamos aproveitar melhor as oportunidades. Portanto, sempre avalie e com o resultado decida. Fuja sempre dos “Folclores Populares”.


Quando falamos sobre esse assunto gostamos de falar muito sobre o “Folclore Popular” da compra de imóveis, em que as pessoas devido a uma cultura popular acham que sempre precisam comprar o seu “cantinho”, o que em muitos casos não é verdade. Em alguns casos valeria mais a pena alugar um apartamento e com a diferença entre o valor do financiamento e esse aluguel, acumular capital e adquirir futuramente o seu apartamento à vista fugindo dos juros.


DICA 5: NÃO SEJA NEURÓTICO, MAS PENSE SEMPRE 2X


A grande maioria das compras efetuadas são de caráter emocional, ou seja, quem nunca entrou numa loja querendo comprar algo e saiu com outra coisa em mãos?

Bom, sabendo disso, é importante levarmos os nossos hábitos de consumo a um padrão mais racional.


Para isso, sempre damos o conselho de que caso precise comprar algo, vá, pesquise, experimente, veja, mas não compre. Volte para a casa para ver se realmente você precisa daquele objeto ou bem, e se no dia seguinte a decisão for a mesma, vá e compre.


Pense sempre 2 vezes antes de adquirir algo, para fugir dos arrependimentos e das dívidas que foram constituídas devido ao seu lado emocional. Mas cuidado para não se tornar um neurótico.


DICA 6: SEJA MAIS CRIATIVO


Quando se está em uma fase de economia, ou de acumulação de capital sempre levantamos a bandeira da criatividade, pois ela tende a ser mais econômica e os resultados são mais vantajosos.


Veja bem esses 2 exemplos, que podem nos ajudar a explicar esse item.


· No dia dos namorados, ao invés de levar a sua namorada em um restaurante caro, que estará com os preços mais altos devido a data, e possivelmente lotado, faça um jantar em casa a luz de velas, num ambiente mais intimo, pois sairá mais barato e não perderá o encanto e romantismo dessa data.


· Os pais muitas vezes não consegue colocar seus filhos na escola com o melhor ensino, pois a mesma cobra uma mensalidade caríssima, e que não encaixa no orçamento mensal da família. Como alternativa, para complementar o estudo de seus filhos, os pais podem utilizar ferramentas on-line, como aulas e livros na internet para reforçar o conteúdo aprendido, levar seus filhos a museus, aprender a matéria junto com eles para que ambos possam falar sobre o tema, incentivando-os a estudar mais.


Esses 2 casos demonstram como com criatividade podemos ter resultados expressivos e ao mesmo tempo econômicos.


DICA 7: TENHA DESPESAS FLEXÍVEIS! FUJA DOS FINANCIAMENTOS


Em média 65% da renda dos brasileiros está comprometida com dívidas e financiamentos, e isso torna a renda familiar inflexível. O problema da sua renda não ter flexibilidade é o caso de acontecer alguma emergência, e você não ter recursos para isso, sendo necessário assumir mais dívidas, então você entrará na famosa “bola de neve”.


Portanto, fuja das dívidas! Se quiser comprar algo, faça sempre o inverso. Ao invés de financiar, junte o dinheiro e quando estiver com uma boa quantia vá e compre à vista.

Caso seja inevitável ter dívidas, no MÁXIMO comprometa 30% de sua renda.


DICA 8: CRIE UM ATRASO NA MELHORA DO SEU PADRÃO DE VIDA


A maioria das pessoas quando têm um aumento em sua renda, acabam aumentando também o seu padrão de vida, e com isso não conseguem criar reservas, pois sempre estão pagando por esse novo padrão de vida.


O ideal seria que todas as vezes que tivesse um aumento de renda, o padrão de vida não fosse aumentado, criando assim um efeito de atraso entre a renda e o padrão de vida, e com isso reservas financeiras começariam a ser formadas de forma mais rápida.


E quando eu devo aumentar o meu padrão de vida? Aconselhamos que você mantenha um atraso de 3 anos entre o aumento da renda e a melhora no padrão de vida.

31 visualizações

Criado por Stardust Agência.