Finanças Pessoais para MMN



Iniciei minha jornada no marketing de relacionamento no começo de 2012, e sem dúvida foi uma das melhores coisas que fiz, pois o universo que se abriu em minha frente foi mágico, não só me gerando muitos ganhos financeiros e viagens, mas principalmente novas habilidades que não teria aprendido se não tivesse tomado esse rumo em minha vida.


Mas a proposta desse artigo é falar sobre dinheiro, e quero dar o enfoque sobre o prisma do marketing de relacionamento, principalmente falando sobre experiências que vivi ou presenciei.


E para começar, quero falar sobre um momento curioso de minha jornada, que foi num grande evento há alguns anos, no qual a empresa que eu representava entregou grandes cheques com a somatória de bônus recebidos por cada um ao longo de sua trajetória. Eu e outros fomos chamados ao palco para receber um cheque de R$500 mil reais, e esse momento se tornou mágico e inesquecível em minha vida. Mágico pois a emoção e alegria tomaram conta daquele momento e inesquecível pois uma das pessoas que estava ao meu lado me fez uma pergunta baixinho que inicialmente me causou uma gargalhada, mas posteriormente me gerou grande reflexão: “você ainda tem esse meio milhão? O meu eu não sei onde foi parar! 


Ao pensar sobre o caso, pensei na quantidade de pessoas que iniciam uma atividade empreendedora, um plano B, uma jornada no marketing de relacionamento, mas que por uma péssima cultura financeira se esforçam, ganham, e não conseguem ver o retorno financeiro desse esforço por não ter tomado decisões financeiramente corretas. 


Por isso, quero escrever mais que um artigo, mas sim um mini guia, para te ajudar a não cometer no presente ou futuro os erros que outros já cometeram no passado, lembrando que melhor que aprender com os seus próprios erros, é aprender com o erro dos outros.


Vamos lá então!


Comecei a ganhar dinheiro no Marketing de Relacionamento, o que devo fazer?


O que sempre recomendo para quem começa a ganhar qualquer valor no MMN é tomar a difícil decisão de não aumentar seu padrão de vida, pois infelizmente o que ocorre é que a renda que vem do Plano B, que deveria ser guardada e reinvestida, acaba sendo gasta em coisas que deveriam ser consumidas apenas no futuro, porém, o emocional fala mais forte, e muitas vezes vemos pessoas que ganham seus bônus, mas acabam nem vendo ele, pois gastam.


Recomendo que o dinheiro seja guardado para ser reinvestido, pois assim, um trabalho efetuado como Plano B pode virar um ativo adicional, através do rendimento de seus investimentos, e estes por sua vez sejam utilizados para adquirir bens e realizar sonhos. Outro ponto relevante, é que assim como qualquer negócio, o MMN também pode oscilar, ou seja, a sua renda pode cair, e por esse motivo, quando se tem uma reserva financeira, você e seu negócio passam a ter saúde, pois em momentos de emergência você terá uma reserva para reinvestir em seu negócio para que ele ganhe fôlego para voltar a crescer.


Eu gostaria de pagar contas ou melhorar meu padrão de vida, devo usar o dinheiro dos meus bônus?


Assim como falei no item acima, não sou adepto a utilização no curto prazo de seus bônus, principalmente no momento que seu negócio está ganhando força, e se esse é seu caso segure um pouco. Valerá a pena.


Porém, se por ventura você quer mesmo aumentar seu padrão de vida e adquirir coisas que o seu Plano A não é capaz de adquirir, eu recomendo que a renda utilizada para isso não seja a renda vinda da rede, ou seja, a renda de seu trabalho digamos que passivo, e sim de seu trabalho ativo, que é efetuado através de 2 ganhos, sendo a vendas de produtos, e os ganhos através de bônus de indicação de novos empreendedores ao modelo. Assim, você passa a compreender que os ganhos que podem ser gastos são os que estão vindo de seu esforço imediato, não comprometendo assim os bônus passivos, que podem oscilar num primeiro momento em seu negócio.


Qual o melhor momento de realizar um sonho com os meus bônus no marketing de relacionamento?


É muito comum que na vida das pessoas os sonhos sejam conquistados através de parcelamentos e sacrifícios financeiros, infelizmente, pois a grande parte delas acaba tendo uma ansiedade gigantesca quando vê uma possibilidade mesmo que pequena de realizar um sonho.


Assim como bati forte na tecla de criar uma reserva e reinvestir a mesma, e através de seus rendimentos, e não de seu principal, arcar com seus sonhos, volto a repetir esse ponto, pois considero que é a maneira mais saudável para tal.


Mas caso você queira adquirir algo e não tenha nada que possa falar que vá mudar a sua opinião sobre isso, recomendo que você opte em primeiro lugar por utilizar como capital aquele que vem através da venda de produtos e dos bônus de indicação de novos empreendedores e não de seus bônus passivos.


Porém, se mesmo assim não for suficiente e você tiver o foco de conquista imediata, sugiro que não gaste mais do que 30% de seus bônus para nenhuma compra ou aquisição, pois assim poderá comprometer seu negócio. E uma ressalva que sempre faço: se por ventura seu sonho for parcelado, fuja, pois não faz sentido você ter uma fonte de renda variável (bônus e vendas) e uma despesa fixa. Junte e apenas depois compre, à vista de preferência.


Não ganho dinheiro pois sou péssimo em organização. O que devo fazer?


Em meu dia a dia escuto muito um ponto que trata de organização financeira, e infelizmente vejo que a minoria trata seu negócio de MMN como um negócio mesmo, e por isso muitas vezes não conseguem nem responder perguntas simples, como qual é o lucro do seu negócio.


Temos que primeiro, antes de mais nada, entender se você é um empresário e não apenas um empreendedor, pois a migração do quadrante de empreendedor para empresário faz toda a diferença, e quanto antes você entender que a sua empresa, por mais simples que seja, deve ter controles, melhor será pra a saúde financeira do seu negócio. Aquilo que não se avalia não se administra! 


Sendo assim, existem muitas ferramentas para te ajudar nesse processo, como planilhas, aplicativos, cadernos caixa e muito mais, então use-as a seu favor e não coloque como desculpa o fato de não saber fazer, pois “na vida quem quer faz, e quem não quer, arruma uma desculpa”, e tenho certeza que você é melhor do que isso.


Como conselho, recomendo que use como controle algo que você se adaptaria mais rapidamente, ou seja, se você gosta de planilhas, use uma planilha, se gosta de aplicativos, use um, se gosta de tudo no caderno, compre um, pois o ser humano tende a ser mais disciplinado com coisas que ele gosta mais.


Como devo dividir o orçamento do meu negócio?


É importante que reserve parte do que você ganha para o seu negócio, para que assim você possa reinvestir, pois entendo que quanto mais atividade o seu negócio tiver, mais resultados de curto, médio e principalmente de longo prazo ele terá. Portanto, se num mês você comprou R$300,00 de produtos, no mês seguinte, pegue parte do lucro, reinvista e busque comprar mais produtos, pois com mais produtos, terá mais vendas e com mais vendas, mais lucro, e isso se torna um ciclo virtuoso.


Outro investimento importante no seu negócio é a categoria de viagens e eventos. Seu negócio só vai crescer se você dedicar tempo, energia e dinheiro com os treinamentos e reuniões. Eles são parte fundamental do seu processo de crescimento e dedicar recursos financeiros para isso é essencial pra conseguir passar por esse processo. 


Para ilustrar, recomendo que você separe seus valores de forma simples e bem organizada, colocando um mês após do outro, para que consiga acompanhar a sua evolução, da seguinte forma:


(=) RECEITAS TOTAIS

(+) receitas de vendas

(+) receitas de indicações de empreendedores

(+) receitas de bônus

(+) outros bônus


(=) DESPESAS TOTAIS

(+) smart delivery/Auto Envio/Ativação Mensal

(+) compras adicionais de produtos

(+) custos com eventos/opens/caseiras (entradas)

(+) custos com gasolina/estacionamento/translados

(+) custos com treinamentos e cursos

(+) custos adicionais


(=) LUCRO/PREJUÍZO


No caso de prejuízo, entendo que existem 3 caminhos: (1) intensificar a venda, que é a forma mais rápida de fazer seu negócio de MMN gerar renda; (2) usar parte do que sobra de sua renda no seu Plano A, o que é normal para qualquer negócio em fase inicial, (3) intensificar as atividades geradoras de renda de seu negócio, pois quanto mais a sua roda girar, mais longe você chegará.


No caso de lucro, reserve esse valor, e faço abaixo uma recomendação de como dividir essa reserva: 


(20%) Reserva 1: Reinvestimento em produtos (Foco: Potencializando seu negócio)


(20%) Reserva 2: Entradas de Eventos e treinamentos assim como custos de deslocamento (Foco: Capacitação Pessoal e Profissional)


(50%) Reserva 3: Reserva Financeira a ser investida, (Construção de Ativo e Tranquilidade)


(10%) Reserva 4: Lazer e diversão (Foco: Recompensas)


Quando posso abandonar meu Plano A e me dedicar inteiramente ao Marketing de Relacionamento?


Essa é uma questão curiosa, muito comum, mas ao mesmo tempo muito controversa. Creio que cada um sabe o melhor momento de tomar uma decisão dessas, pois cada um está vivendo a sua própria vida, e de fato a felicidade deve estar atrelada ao trabalho. O que acontece é que o mundo do MMN é encantador e sendo muito sincero, não tem como não gostar dele e não querer vivê-lo pelo resto da vida. Somente um louco para conhecer esse mundo e não almeja-lo para si e sua família.


A verdade é que por mais tentador que seja abandonar o seu plano A, esse sonho tem que ser executado no momento certo e necessita de paciência e planejamento, e falo abaixo sobre algumas etapas desse processo. 


A primeira é você saber o quanto é seu custo de vida, pois assim saberá quanto será seu colchão financeiro para o momento que sua renda do plano A for interrompida. Em resumo, se você gasta R$ 5.000,00 por mês com suas despesas pessoais e empresariais, recomendo que tome a decisão de abandonar seu Plano A apenas quando tiver no mínimo 12 meses de reserva financeira, que nesse caso seriam R$ 60.000,00. 


A segunda etapa é ter passado pelo menos 1 ano e meio atuando com MMN em paralelo a atividade do plano A, mesmo que já tenha a reserva financeira. Essa recomendação é devido à necessidade de adquirir conhecimentos e desenvolver habilidades no início do negócio, como qualquer mercado, para conseguir ter sucesso. Quando há pressão financeira, o desenvolvimento das habilidades pode ficar comprometido, portanto, é muito melhor você ganhar esse conhecimento e habilidades sem que tenha uma pressão financeira que lhe obrigue a correr. Após esse prazo com a reserva financeira constituída, você pode pensar em dar esse passo.


Como disse, cada caso é um caso, e por isso, como terceira etapa do processo, é importante que coloque uma folha em sua frente e sempre faça um teste em relação a Por Que SIM? e Por Que Não?, pois baseado nos resultados você saberá se a decisão naquele momento tende a ter mais fatores positivos, ou negativos.


Espero que essas questões, tão comuns em meu dia a dia, possam ter clareado ainda mais seu caminho. E no mais, conte comigo sempre em sua jornada, pois juntos sempre poderemos fazer muito melhor.

37 visualizações

Criado por Stardust Agência.