Limite do Cheque Especial como Aumento da Renda



Lembro como se fosse hoje, de meus pais gritando “Não sabe brincar, não vai mais brincar, e vocês estão de castigo” para mim e para meus irmãos quando discutíamos, quebrávamos ou não conseguíamos dividir os nossos brinquedos.


Quando isso acontecia, ficávamos extremamente bravos, e desesperados, pois não queríamos ficar de castigo, pois queiramos brincar mais. Porém, após alguns minutos, cedíamos e começávamos a brincar novamente, mas de uma maneira completamente diferente, sem brigas, discussões e sem quebrar nada.


Infelizmente, na vida financeira não temos “pais” para nos darem broncas e nos colocarem de castigo para que assim possamos aprender valiosas lições. Quando falamos do mundo financeiro, os nossos deslizes são marcados através dos salgados juros, e por isso precisamos criar a nossa “auto educação” e a nossa “auto conscientização”, pois caso contrário a vida vai passar e nós vamos ficar parados, estagnados, ou seja, verdadeiros sobreviventes.

Hoje, quero falar de um dos casos mais comuns que encontramos no nosso cotidiano, que são as pessoas que acabam por incorporar na sua renda o nosso grande amigo, ou vilão, chamado “cheque especial”.


Acredito que o cheque especial para algumas pessoas acaba sendo como uma droga, ou seja, no começo ela usa alegando que foi uma só vez, porém, quando percebe está usando sempre e diz aos amigos e familiares que não tem problemas financeiros. Chamamos em nosso jargão interno essas pessoas de “usuários de cheque especial”. E se for você o caso, a melhor forma de sair dessa, é assumindo que tem um problema.



Mas qual é o grande problema? Os Juros?



Pior que os juros! O Hábito aliado ao otimismo.


Sim. Muitas pessoas acabam por entrar nessa pela justificativa de que esse mês ou essa semana não foi boa, mas na próxima as coisas irão melhorar, e por isso justifica para ela mesma que não faz mal usar uma vez só, porém, isso não é o que vemos em nosso cotidiano.

A maioria das pessoas acabam se habituando a achar normal gastar tudo o que se ganha e entrar no cheque especial.


E a medida que o tempo vai passando, novos gastos vão sendo incorporados ao seu dia a dia, e quando nos damos conta, sem o limite do cheque especial, essa pessoa não conseguiria pagar as suas contas.


E quando essa pessoa se dá conta da bola de neve que entrou, pois tudo o que entra de recursos em sua conta acaba sendo engolido pelo cheque especial, ela faz o que muitos fazem, colocam a culpa não no gasto que tem mensalmente, e sim que ganha muito pouco e por isso é obrigada a recorrer ao cheque especial. Porém, isso é uma justificativa que não leva ninguém a encontrar uma solução, pois quando essa mesma pessoa se realoca em uma vaga que paga um salário melhor, vemos que a situação se repete, e por que? Simples, pois ela incorpora mesmo sem perceber esse cheque especial em sua vida.



O que recomendamos?


Bem, primeiramente assumir o problema, e a melhor forma de assumir o problema é criando planos de ação para solucioná-lo, e dentre eles, alguns pontos gostamos de pontuar:


1- Revise todos os seus gastos e comece a enxugá-los agora mesmo


2- Solicite o cancelamento do seu limite de cheque especial e renegocie o saldo negativo da mesma para um crédito pessoal (que tem juros mais atrativos)


3- Compreenda que grande parte do problema é o seu padrão de consumo que gerou, portanto, é muito importante que além do corte das despesas, seja feita uma reeducação consumista, ou seja, precisa parar de gastar tanto com coisas que são adquiridas por puro impulso.


4- Se recuperando, não opte por ter o limite do cheque especial de volta, aprenda a viver sem ele.


Nesse curto artigo, optamos por pontuar em grande parte o aspecto psicológico desse problema, mas sem dúvida, falando nos detalhes financeiros, os juros do cheque especial são apenas menores do que os juros do cartão de crédito, portanto, se você entrar numa bola de neve do cheque especial, dificilmente sairá ileso, ou seja, sem arranhões, portanto fuja dela o quanto antes.


Óbvio que temos 2 casos que não comentamos acima, que são as pessoas que conseguem se controlar e até utilizar seu limite do cheque especial em benefício próprio e um segundo grupo que entrou no cheque especial pelas circunstâncias, e ambos os casos não são nosso foco nesse artigo.


Desejamos que esse artigo seja de grande valia na sua trajetória financeira e no que precisar conte sempre conosco.

0 visualização

Criado por Stardust Agência.