Melhore seu Bairro, Melhore seu Bolso



Eu resido num bairro chamado Moema em São Paulo, um bairro que gosto bastante por ser plano, por ter inúmeros serviços e aqui consigo tudo aquilo que preciso. Raramente tenho a necessidade de sair de meu bairro.

Recentemente conversando com uma amiga que reside num bairro bastante afastado ela me disse que o sonho dela é residir em Moema, alegando todos os pontos positivos que coloquei no trecho acima. Inclusive ela me confidenciou que mesmo sendo distante de sua residência prefere fazer uma academia que está presente em Moema, gosta de tomar seu café da tarde aqui e somente depois retorna ao seu bairro.

Segundo ela, em seu bairro não existe essa praticidade que tem em Moema. E nesse instante disse que a culpa disso era dela.

Nesse momento ela arregalou os olhos e me respondeu, como assim? Está louco? Como posso ser culpada por não ter o que quero em meu bairro?

Pedi calma a ela naquele momento e expliquei o que irei explicar à você nesse momento.

Claro que existem bairros muito bem estruturados nas cidades, que contemplam excelentes moradias, segurança, serviços, restaurantes, meios de transporte e tudo o mais que uma pessoa almeja em seu ambiente de residência, mas isso é uma transformação que demora muito tempo para se tornar uma realidade.

Exatamente por isso, compreendendo que bairros podem ser transformados, temos que compreender que o que pode ser o motor para isso é o seu bolso, ou seja, seu consumo. A partir do instante que uma pessoa sai do bairro dela, para vir para um outro bairro consumir, pagar mensalidade de uma academia, disponibilizar seus recursos ao comércio daquele local, você acaba tornando esse bairro mais rico, com maior movimentação de dinheiro, o que por sua vez atrai mais negócios e ativa ainda mais a expansão imobiliária desse bairro, que por sua vez atrai mais pessoas gerando mais movimentação de dinheiro, ou seja, um ciclo virtuoso financeiro.

Se essa mesma lógica fosse levada ao bairro dela, ou seja, ela buscasse gastar com os serviços disponíveis no bairro dela, evitando gastar fora do seu círculo geográfico, apenas abrindo uma exceção quando fosse necessário, ela faria a economia de seu bairro ser mais fortalecida, e o se muitas pessoas fizessem o mesmo poderiam criar um ciclo virtuoso próximo de onde a mesma reside.

Claro que isso não é do dia para noite. Mas se trata de um hábito.

Pensando nisso, eu faço questão de gastar meu dinheiro perto de casa, pois quanto mais alimento financeiramente meu meio, mais e melhor serão o ambiente que resido. Apenas gasto meu capital fora desse ciclo, quando realmente faz-se necessário.

Refletindo um pouco sobre esse ponto podemos sim ter melhores resultados para o nosso bolso, independente da nossa opção trabalhista. Já ouviu aquele ditado, “Dinheiro segue dinheiro”, pois bem, essa é a lógica nesse caso. Bairros com maiores e melhores estruturas atraem mais investimentos, tem uma demanda maior por transporte público, empresas preferem ter suas sedes nessa localização, você passa a ter a abertura de novos negócios numa velocidade grande e a expansão imobiliária passa a ser cada vez maior.

Em suma, fique atento a esse ponto. Pode até ser uma visão bem romântica no que tange economia, mas ela pode virar realidade a medida que criamos e desenvolvemos hábitos mais prudentes na forma como gastamos nosso dinheiro, pois com ele podemos melhorar o ambiente em que moramos e podemos de quebra gerar mais oportunidades para nós e para os outros.

19 visualizações

Criado por Stardust Agência.