O que Fazer, Seguro de Vida ou Investimento?




Seguro de vida ou investir mensalmente, o que fazer? Aliás, qual sentido tem essa comparação uma vez que parece ser duas situações totalmente diferentes.


Essa pergunta para a grande maioria pode até parecer estranha, mas você perceberá que ao decorrer da leitura terá uma relação incrível.


Não é de hoje que os brasileiros buscam cada vez mais aprendizado em relação ao planejamento financeiro pessoal e investimentos. Entre os investimentos mais procurados estão investimentos na bolsa de valores com compra e venda de ações entre outros tipos de investimentos, onde muitas vezes essas realizações são feitas sem o suporte de um profissional capacitado para orientá-lo e dessa forma o investidor pode perder recursos e oportunidades por falta de conhecimento.


Com o crescimento dos bancos de investimentos e o aumento de profissionais capacitados em planejamento financeiro, cada vez mais o brasileiro investe melhor seu recurso e aproveita as oportunidades que o mercado financeiro trás, para novos investidores e para os mais experientes, cada qual com seu perfil e poder de investimento, mais o importante é cada pessoa poder investir seus recursos e ter um planejamento para o futuro.


Por outro lado, quando se fala de seguro de vida, a primeira lembrança que vem na cabeça da grande maioria é a oferta de um seguro de vida pelo se gerente de banco devido a contratação de um empréstimo para obter melhores taxas ou então, para ajudá-los a bater sua meta de final de mês, sem ao menos saber o que está sendo contratado ou o quanto de valor e diferença pode fazer, essa ferramenta de proteção, na vida de sua família.


É fato que o período de pandemia tem mudado a forma de pensar de muitas pessoas que antes não se preocupava em como proteger sua família em caso de adversidade por achar que nunca aconteceria nada com ele, aliás, como ninguém quer imaginar em não estar mais perto de sua família, filhos ou mesmo passar por um problema de saúde e acidente que pode deixar qualquer um inapto para o trabalho, a imagem do seguro de vida sempre foi evitada por uma grande maioria. Mas agora, sabendo que qualquer pessoa pode ser afetada por um vírus que não se vê, independente de sua classe social, cor de pele ou religião, a imagem do seguro de vida é outra.


Bem, temos percebido que a cada dia que passa aumenta a procura por seguro de vida e da mesma forma que aconteceu com os profissionais de investimentos, cada vez mais aumenta o número de corretores de seguro de vida especializado para fazer um atendimento personalizado para o momento de vida de cada pessoa e dessa forma, aquela situação de ter um seguro de vida empurrado, cada vez mais se torna algo ideal para cada família.


- Então vamos lá, quer dizer que com conhecimento e profissionalismo é possível investir melhor e ter um seguro de vida que faz sentido para minha família?


- Exatamente.


- E o qual fazer?


- Obviamente, os dois.


Falamos anteriormente que em um planejamento financeiro completo, sempre será necessário considerar os dois pilares, investimentos e proteção, mesmo porque uma é complemento da outra.


Enquanto os investimentos é o aumento do seu patrimônio durante sua vida produtiva e acumulativa, o seguro de vida será a proteção para que esse planejamento a longo prazo aconteça, ou seja, qualquer eventualidade que acontecer com você, mesmo que seja parar de trabalhar após um acidente ou doença, não será necessário utilizar o recurso acumulado no investimento para tratamento ou pagar as contas porque esse papel será feito pelo seguro de vida.


Sendo os dois fundamentais para ter uma vida financeira saudável, qual fazer primeiro?


Vamos usar o conceito 60/30/10.


De sua renda mensal, 60% do valor, em média, será usado para os custos do seu dia-dia básico como pagar todas as contas fixas e gastos complementares. Se organize para guardar e investir em média, 30% de sua renda e com isso, no máximo de 10%, será necessário para fazer uma boa proteção de seguro de vida para você e sua família.


Ou seja, 10% de sua renda, faz com que você proteja e se organize para utilizar os outros 90% com custos fixos e investimentos a longo prazo e sendo assim, dá para ter as duas coisas ao mesmo tempo, investimentos e seguro de vida, basta se planejar.


Se por acaso tudo que você recebe de renda é gasto durante o mês, provavelmente você não vai conseguir separar um dinheiro para investir e nem para proteger você e sua família e daí a importância em ter um planejamento financeiro onde irá identificar excessos de gastos e priorizar seus objetivos a curto, médio e longo prazo.


Até a próxima!



4 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo