Qual a Importância da Diversificação?



A diversificação é uma técnica que reduz o risco quando os investimentos são alocados em vários instrumentos financeiros, setores ou categorias. Dessa forma, ela tem como objetivo a maximização da rentabilidade a partir do investimento em diferentes áreas, em que cada uma reage de forma distinta a um mesmo evento.

Talvez seja considerado um pouco clichê falar sobre diversificação, mas provavelmente essa é uma das atividades mais importantes para o investidor.

A maioria dos profissionais de investimento concorda que, mesmo que não seja uma garantia total para evitar perdas, a diversificação é importante para que sejam alcançados objetivos financeiros de longo prazo, além dela permitir a redução do risco.

Por exemplo, um investidor que possui um portfólio composto apenas por ações de companhias aéreas pode ter perdas relevantes caso algo aconteça nesse segmento, como uma alteração na regulação, uma pandemia ou a própria diminuição da demanda por transporte aéreo.

Além disso, esse investidor sofrerá consideravelmente caso o dólar se valorize em relação ao real, visto que as empresas aéreas têm muitos custos dolarizados e receitas em reais.

O investidor pode balancear sua carteira investindo em ações de outros meios de transporte, como de ferrovias. Assim, apenas parte do portfólio é afetada caso algum desses eventos ocorra.

Além disso, o investidor pode precisar diversificar ainda mais devido aos riscos associados a esses dois tipos de empresas. Isso porque, mesmo com a diversificação nos segmentos logísticos, existem eventos negativos que influenciam ambos, como a restrição de viagens e o deslocamento de pessoas.

Portanto, o investidor deve também variar os investimentos em diferentes setores e tipos de empresas, que quanto menos correlacionadas forem, melhor. A maneira mais simples de entender essa correlação é se perguntar: “Quanto o ativo X se correlaciona com o ativo Y?”.

Vamos a um exemplo. Qual é a correlação da Alupar, empresa de transmissão de energia, com a Apple, desevolvedora do Iphone?

Provavelmente, essas companhias se correlacionam muito pouco. De um lado temos uma empresa de energia brasileira e do outro uma empresa de tecnologia do exterior. Tratam-se de companhias com modelos de negócio totalmente distintos, além de estarem expostas em economias distantes.

Enquanto uma está exposta a um mercado regulado brasileiro, a outra é uma companhia global com várias linhas de negócios, sendo que a principal é a venda do Iphone. Facilmente, percebemos que elas não possuem uma correlação significativa.

A diversificação entre classes diferentes de ativos também pode ser uma estratégia interessante, como ações, fundos imobiliários, renda fixa e ativos no exterior. Essa pode ser uma maneira de reduzir bastante a sensibilidade da carteira com relação às oscilações do mercado que afetam ativos específicos.

Quando o assunto é diversificar, nada impede o investidor de buscar alternativas fora da sua localização geográfica. Investir em outras economias e moedas pode aumentar o retorno e reduzir os riscos da carteira.

Existem dois riscos principais aos quais é preciso estar atento:

  • O risco sistemático ou de mercado, que atinge todas as empresas da economia. Ele afeta o mercado na totalidade e não uma empresa ou setor específico. Em geral, não é eliminado por meio da diversificação e todos os investidores devem aceitá-lo como parte dos investimentos. Uma pandemia é um exemplo, porque diminui a atividade econômica, afetando a maioria dos setores da economia.

  • O risco não-sistemático é aquele que afeta de forma específica uma empresa, indústria, mercado, economia ou país. Aqui a diversificação tem um papel muito importante na redução dos riscos e é onde o investidor deve ter um foco maior.

Para um investidor que investe no segmento de Companhias Aéreas, como citamos anteriormente, uma boa forma de diversificar o seu investimento é ter em seu portfólio empresas cujas receitas são dolarizadas e com os custos medidos em reais, como é o caso das exportadoras.

Assim, em uma alta relevante do dólar, suas empresas aéreas serão penalizadas, enquanto as exportadoras serão beneficiadas.

O investidor não deve negligenciar a diversificação, pois com ela é possível mitigar muitos riscos, sejam eles oriundos de determinada localização ou de algum evento específico.

10 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo