3 Histórias Sobre Dinheiro

O artigo de hoje é muito mais um relato do que um artigo técnico que iremos apontar melhorias ou possíveis falhas que acontecem no dia a dia. Hoje quero falar de uma conversa que tive com um grande amigo hoje. Estávamos na academia e ao finalizarmos nosso exercício paramos no café da unidade e começamos a bater um papo. Entramos então no assunto dinheiro, mais especificamente o tema falta de consciência das pessoas e como elas acabam por envelhecer e não conseguem construir um patrimônio em suas vidas. Foram 3 histórias que foram contadas e todas elas são mais comuns do que imaginamos, ou melhor, pode ser que você que esteja lendo esse texto sofra do mesmo problema. História 1: Confiar na habilidade O primeiro caso foi relacionado a um amigo dele que completou 50 anos, empreendedor, excelente vendedor e péssimo administrador. Essa pessoa tem um grande talento em sua área de trabalho e uma incrível comunicação, e quando quer ganhar mais para ele é simples, basta vender. Como a sua habilidade com vendas é formidável ele realmente consegue levantar excelentes quantias no período de dedicação, mais do que muitos executivos. O problema é que sempre está sem dinheiro, e o problema disso é porque como ele tem a certeza, que consegue levantar caixa quando precisa nem sempre se concentra em poupar para o futuro. Essa segurança na habilidade comercial dele é o maior mal que poderia existir para seu futuro. O ponto em questão é que hoje enquanto ele tem energia tudo está sob controle, mas e daqui a 20 anos? E se no meio do caminho ele tiver um problema de saúde? E se... Sim. Quando poupamos parte de nosso esforço hoje não é somente para termos um futuro de luxos, mas sim um futuro de segurança, por isso precisamos compreender que tais sacrifícios são importantes e a nossa capacidade de poupar deve ser uma habilidade importante em nosso cotidiano. História 2: Uma vida tranquila A segunda história é de uma moça muito bonita que estava casada com um rapaz com bastante capital e orgulhoso. Essa moça ganha em média por mês R$12.000 reais líquidos, ou seja, ela trabalha e recebe um bom valor mensalmente avaliando a média nacional. O que ocorre é que a moça em questão estava namorando um rapaz de família rica que sempre quis prover a ela uma vida de luxos nunca permitindo a ela que pagasse nenhuma conta. No início desse relacionamento ela não gostava, mas sempre as brigas acabavam por nascer após esses episódios. Em suma, a moça acabou permitindo que o tal namorado pagasse tudo para ela. Ela continuou a trabalhar nesse período, continuou a buscar crescer em sua carreira, e tudo o que ganhava ela gastava, e quando avaliávamos com o que, consumo. Como ela não tinha que pagar restaurantes, carro, gasolina, apartamento, condomínio e etc, praticamente todo o dinheiro que ganhava ela podia fazer o que quisesse. Bem, esse namoro durou 5 anos, e durante esse período a moça adquiriu produtos de praticamente todas as marcas chics de São Paulo, gastando praticamente tudo o que ganhava, e no momento do término do relacionamento ela se via sem rumo, acreditando que o que ganhava não seria o suficiente para viver. Esse caso a pessoa se acostumou a não construir seu futuro, não conhecia a dor da poupança, não aprendeu a importância de economizar, a importância de saber como é prazeroso você construir algo seu, ou seja, se acostumou a depender de uma pessoa. Um perigo imenso. Acredito piamente que as pessoas devem procurar sempre a sua independência, não apenas com o tema dinheiro, mas como o tema capacidade. Temos que ter a confiança na nossa capacidade de construir e reconstruir sempre que possível. História 3: O futuro pagador A última história é de um rapaz que se casou com uma juíza! A Juíza ganhava muito bem, sempre teve uma boa cultura financeira e sempre economizou, principalmente sabendo que ela é divorciada e mãe de 3 meninas. O tal rapaz ao se mudar para a cidade da moça decidiu abrir um negócio, o que para ele realmente poderia ser algo interessante, visto que além de ser super dedicado, estudioso e ter excelente habilidades comerciais, ele sempre teve muita vontade de crescer. A sua esposa então para dar um impulso em seu negócio financiou o estabelecimento com R$300 mil reais, ou seja, conseguiu assim dar o start que precisava para a realização de seu sonho. Ela emprestou esse capital sem ao menos almejá-lo de volta, um valor que foi emprestado pensando que esse negócio seria de ambos. Mas o rapaz é orgulhoso e não quis receber esse valor dessa forma, ele faz questão de pagar esse dinheiro de volta devidamente corrigido. Ocorre que o negócio já tem 2 anos e não está indo bem, o pequeno lucro que sobra mal dá para pagar as contas do rapaz que hoje vive dependente do dinheiro de sua esposa, mas para ele pagar essa dívida é questão de honra. Acontece que esse rapaz com o pouco capital que sobra nunca deixa de viajar, sempre quando vai viajar quer os melhores hotéis, não mudou seu padrão de consumo e mesmo assim sempre salienta a importância que para ele seria pagar a sua dívida. Conclusão! Mantendo essa mentalidade financeira sabe quando ele pagará essa dívida? Isso mesmo! Você respondeu! Se as pessoas não mudam seus hábitos dificilmente elas conseguem mudar seus resultados. Somos frutos de nossas decisões diariamente, e por isso precisamos compreender se essas decisões estão nos levando onde gostaríamos ou estão nos tirando do rumo certo. Espero que essas 3 histórias possam ter ajudado você a refletir sobre sua vida e melhorá-la sempre.

Criado por Stardust Agência.