Dê Nome aos Bois Nas Suas Metas

Ao abrir meu instagram hoje me deparei com uma chamada de um “guru” das metas e do planejamento prometendo que com o curso dele você passará a atingir todas as metas de sua vida. Bom, posso estar sendo injusto com ele, por isso para não expô-lo, não citarei nomes. Mas a verdade é que eu pelo menos me canso de tantas pessoas vendendo fórmulas incríveis para que você saia do ponto A de sua vida e vá para o ponto B. Basicamente, se você ficar em sua mídia social por 1 hora será bombardeado por pessoas felizes e treinadores mágicos que tentarão empurrar tudo para que você tenha a mesma vida que a deles. Esse ponto exposto acima me motivou a escrever esse artigo, e já que o início do mesmo foi falando sobre metas, será sobre isso que falarei, pois quero nesses próximos minutos de seu tempo colocar à mesa uma técnica que uso para minhas metas, principalmente financeiras. Por anos dediquei a minha vida a falar com pessoas e famílias sobre educação financeira e depois migrei 100% para investimentos com a inauguração da RV4 Investimentos, e basicamente me deparei com 3 tipos de pessoas. Aquelas que nunca conseguiam atingir nada, que atingiam mas depois se perdiam, e aquelas que sempre atingiam tudo aquilo que planejavam. Com isso passei a observar cada um desses 3 grupos e notei que: No grupo das pessoas que sempre atingiam seus objetivos financeiros, elas sempre planejavam suas metas financeiras com atenção e mais importante que isso, elas davam nomes as suas metas. Por exemplo elas nunca guardavam dinheiro por guardar, ou seja, se fossem guardar dinheiro seria para obter algo. Esse simples fato acabava por criar uma identidade emocional sobre a meta, pois ao abandona-la ou negligencia-la por algum motivo acabava gerando um sentimento de não cumprimento e distanciamento em relação ao sonhado objetivo. Em compensação os outros 2 grupos acabavam não tendo essa conexão com suas metas, basicamente faziam por fazer e como resultado acabavam por não cumprir, pois não existia um apelo sobre aquele esforço. O problema é que ao longo dos anos o grupo que cumpre com seus objetivos acabava gerando um grau de satisfação e empoderamento que fazia com que outros objetivos sempre fossem conquistados, pois confiança gera confiança. Já com os outros 2 grupos que acabavam por não atingirem suas metas o problema sequencial era a falta de confiança, um grande problema mesmo, pois infelizmente o ciclo vicioso do não cumprimento de metas afeta muita gente mesmo antes de tentarem, pois o cérebro se acostuma a desistir. Como conselho então a esse artigo dou o de criar metas, planejá-las, mas dar nome a elas. Se for juntas dinheiro, dedique um objetivo a ele, e nunca faça por fazer as coisas. E para finalizar esse artigo coloco uma frase que me marcou muito nesses anos: “Quem guarda por guardar, gasta por gastar”.

Dê Nome aos Bois Nas Suas Metas