Não quer dizer que Renda Fixa SEJA Fixa

Nos últimos anos vimos a nossa Taxa Selic cair a níveis nunca antes vistos, o que é algo incrível, ajudando assim a indústria e comércio a caminhar, diminuindo a dívida pública e amenizando os impactos sobre o PIB, dentre outros benefícios. Claro que a pandemia e o próprio Brasil não souberam aproveitar esse momento, e vemos nossa Taxa de Juros voltando a subir num ritmo um pouco mais forte do que gostaríamos, mas faz-se necessário. O ponto é que a Taxa Selic é apenas uma referência, e tal referência muitas vezes é confundida com a Renda Fixa. O que quero dizer é que a Renda Fixa não é a Selic, ou seja, ela apenas se baseia na Selic, tendo assim uma dinâmica mais profunda e por isso apresentando oportunidades muito interessantes. Claro que se você pegar o seu dinheiro e alocá-lo na Caderneta de Poupança, ou em produtos atrelados a Taxa Selic, o seu rendimento de Renda Fixa será proporcional a Taxa Selic, mas se você quiser montar uma carteira de renda fixa mais dinâmica, aproveitando as oportunidades que o mercado oferece sem abrir mão da baixa volatilidade e segurança da Renda Fixa existe um mundo gigantesco para que você possa aproveitar. Sim, existe! E explico um pouco mais. Assim como em qualquer mercado temos as leis econômicas como grandes alicerces, e a principal delas sem dúvida é da oferta e da demanda, ou seja, um produto tende a se valorizar se a sua oferta for menor que sua demanda, vice-versa. Pois bem, na Renda Fixa é a mesma coisa. Diariamente vemos o mercado precificando produtos financeiros, e a sua rentabilidade ofertada e prometida acompanha a Taxa Selic, mas mais do que isso, a demanda e a oferta do mercado, apurando assim algo que chamamos de Prêmio de Risco. Pense comigo, se você opta por investir seu dinheiro num CDB (Certificado de Depósito Bancário), você teria mais segurança para comprá-lo do Bradesco ou do banco PAN? Com certeza a sua resposta foi Bradesco, pois estamos falando de um colosso financeiro, um banco histórico e seguro. Assim sendo, você concorda que se o banco PAN e o Bradesco ofertarem um retorno de 4% ao ano, ficará difícil para o Banco PAN ser atrativo. Agora vamos pensar que nesse mesmo CDB de 4% ao ano ofertado pelo Bradesco o Banco PAN opte por ofertá-lo a 8% ao ano, a coisa começa a mudar de figura. Exatamente como falamos acima, para que tenha demanda para o Banco PAN ele deve ser mais atrativo que o Bradesco, e por isso podemos chamar esse spread ou diferença em Prêmio de Risco, ou seja, você topa investir no Banco PAN, mas você quer algo em troca pelo seu risco assumido. E essa dinâmica ocorre em todos os produtos de Renda Fixa do mercado, desde CDBs, debêntures, Títulos Públicos, CRAs, CRIs, ou seja, quanto mais risco o mercado precifica mais interessantes os produtos devem ser em termos de rentabilidade para motivar o investidor a aplicar seu capital. Por esse motivo que devemos compreender que a Renda Fixa não precisa seguir a lógica de vou investir e esquecer que meu capital esteja lá, ou que esse é seu capital de segurança apenas que não deve ter a exigência de grandes rentabilidades, ou mais ainda, que Renda Variável gera rentabilidade e renda fixa apenas segurança. Devemos compreender que a Renda Fixa é dinâmica, e com um trabalho ativo podemos encontrar excelentes possibilidades. Por isso que ter um Assessor de Investimentos é fundamental para qualquer carteira e para qualquer investidor, pois como o mercado é dinâmico, uma pessoa que não vive como investidor nem sempre consegue estar atualizado e por isso muitas oportunidades são deixadas na mesa.

Não quer dizer que Renda Fixa SEJA Fixa